Caso Rafael: Após 1 ano da morte do ator e dos pais, um morador fala sobre a ajuda na fuga do autor Paulo Cupertino”Dei transporte dinheiro e comida”

Foragido à um ano depois de cometer o crime,morador de Sorocaba foi ouvido e diz que ajudou na sua fuga.

A 9 de junho do ano passado o ator Rafael Miguel e os pais foram assassinados pelo pai da namorada, o empresário Paulo Cupertino Matias. O autor continua foragido e em novos relatos no qual o G1 teve acesso ao testemunho, ele contou com a ajuda de dois amigos, sendo um deles morador de Sorocaba.

Cupertino, matou as vítimas, só porque era contra o relacionamento da filha Isabela Matias com o ator das chiquiquitas Rafael. A jovem, e a mãe assistiu ao crime bárbaro, que tirou a vida do namorado e dos pais.

O empresário, assassinou o ator e os pais dele, disparando 13 vezes. As vítimas foram apanhadas de surpresa, e não tiveram tempo de se defender. Segundo as noticias, os ajudantes de Cupertino, um da capital e outro da cidade, ajudaram com dinheiro, transporte e comida, para ele se colocar em fuga. Os três eram amigos, de longa data mais de 15 anos.

A investigação, revela que o autor do crime, recebeu auxilio de dinheiro, e um carro de um dos amigos, que é dono de uma pizzaria em SP. O carro foi usado para que ele pudesse se colocar em fuga após o crime, e logo após recebeu ajuda do amigo da capital de SP para dar seguimento ao trajeto.

Às autoridades, um morador que reside na cidade, contou que estaria a viver há cerca de um ano e seis meses, e que era um grande amigo de Paulo, ha muitos anos, e o dono da pizzaria já tinham mais de 20 anos de amizade.

Ainda sobre o dia do ocorrido, ele confessou que a esposa do dono do estabelecimento, telefonou dizendo que Paulo estaria na rodoviária de Sorocaba. E logo após já por volta das 19h, ele foi ao encontro do autor, que contou por alto o que aconteceu, sem dar muitos detalhes.

Na sequencia, Paulo tomou banho, e vestiu as roupas do amigo, pegou uma mochila e um casaco. Ainda no mesmo dia, por cerca das 21h, ainda durante as declarações o investigado pediu para que ele fosse até casa de uma mãe de santo em Águas de S. Pedro. Que ficaria numa outra cidade, a mulher fez um pedido que ele se entregasse.

Entretanto, ele acabou para ir para outro lugar com o amigo, que fica a 200 quilômetros de onde se encontrava. Mas a cidade não foi detalhada durante o depoimento. Mas com tudo isso, ele não quis prestar auxilio ao autor acabando todos por dormir num hotel.

Já no dia seguinte, o amigo disse que Paulo teria deixado a cidade. Já no dia 11, o autor pediu cinco mil reais em dinheiro, ao dono do estabelecimento.

Já dias após o crime, durante os depoimentos, o amigo deu detalhes às autoridades, que Paulo teria entrado em contacto, e contou que estava em Campinas(SP). Onde ele pediu ao amigo que fosse ao encontro dele. Quando se dirigiram ao seu encontro, o autor já teria comprado uma passagem para Ponta Porã, e que Paulo teria ficado com a CNH dele.

Paulo quebrou o celular e o chip e jogou no local da rodoviária. O amigo de Sorocaba, confirmou ainda que em todo o percurso de Paulo ele estava armado e coagindo-o.

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!