Ciro Pessoa deixou obra feita com determinação com que saiu dos Titãs em 1983

O artista morreu vítima do covid-19 e foi coautor de músicas como “Sonífera Ilha”

O cantor, compositor e guitarrista paulistano Ciro Pessoa, foi responsável por escrever um capítulo decisivo de sua história ao tomar a decisão de deixar o grupo Titãs, fundado por ele, em 1983.

Ao que consta, Ciro defendia um som mais pesado e roqueiro para a banda, da qual ele foi um dos fundadores.

Diante disso, ele resolveu sair da banda por ter notado que os demais integrantes da banda tinham tendências a fazerem sons mais heterogêneos com leveza e quase um pop da New Wave. Para ele a gota d’água foi o embate com André Jung, o baterista da formação original.

PUBLICIDADE

Circo Pessoa deixou os Titãs antes que a banda chegasse ao seu estrelato, que aconteceu em 1984. No entanto, o artista não havia ficado dissociado totalmente do grupo paulistano, pelo fato de que ela era um dos compositores, junto com Branco Mello, Marcello Fromer, Tony Belloto e Carlos Barmarck, de um dos maiores sucessos da banda, que foi o primeiro inclusive a música “Sonífera Ilha”.

A música composta também por Ciro desde então ficou marcada na memória afeta dos que seguira acompanhando o Titãs na década de 1980.

Sonífera Ilha nos anos seguintes, e até nos atuais, se tornou o maior sucesso da banda e do cancioneiro Ciro, que era parceiro de Branco Mello em músicas infantis e de Edgard Scandurra. Além disso ele também era coautor de outro sucesso da banda, a música Homem Primata.

PUBLICIDADE

Ciro Morreu na madrugada da última terça-feira (5) pouco mais de um mês após ele ter completado 63 anos de idade.

O cantor morreu vítima de uma infecção que foi causada pelo covid-19 que foi adquirida pelo mesmo hospital onde ele estava para tratar um câncer.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.