Emocionada Filha do ator Luigi Baricelli, chora ao descrever o que viu na câmera de monitoramento da creche de sua bebê

A filha do artista Luigi Baricelli comoveu toda a web com sua declaração.

A filha do ator Luigi Baricelli, Rúbia Baricelli, desabafou na web acompanhada de seu marido, Henrique Tomaz, o relato descrito por ela é um assunto muito importante para os pais e mães que deixam seus filhos nas escolinhas.

Muitas coisas acontecem todos os dias e vira notícia na web, e isso parece ser algo distante da nossa realidade, todavia, na verdade a declaração da filha do artista pode servir de alerta para evitar que seus filhos passem pela mesma condição que sua filha passou, podendo trazer sérios problemas que podem afetar a saúde física da criança, se tiver sido uma agressão, pode provocar problemas psicológico até mesmo difícil de serem reconhecidos pelos pais no início.

A Bebê Helena, tem 2 anos de idade, ela é neta do ator Luigi Baricelli. A criança foi matriculada em uma escolinha, a mãe dela, Rúbia Baricelli transferiu a garotinha para a nova escola em abril do ano passado.

A alteração foi preciso porque os pais desejavam que a filha adquirisse conhecimento em outro idioma desde cedo, no caso, a língua inglesa. Na outra escola não havia professores para aulas, e a nova presenteava aulas para todas as crianças.

Desde que a menina começou a frequentar a nova escola ela passou a fazer birra, não queria de forma alguma ir a aula. Quando chegava em casa chorava muito e ficava angustiada, atitude que na outra escola não sucedia.

A família percebeu alteração no comportamento, porém, poderia ser somente um período de adaptação. “Chorar para ir a escola é normal, mas voltar chorando também já é estranho”, contou a mãe de Helena.
Um belo dia Rúbia foi buscar a filha na escolinha, ao chegar lá ela percebeu que a filha estava tristinha, desconfiada que pudesse estar acontecendo alguma coisa, ela pediu à escola queria assistir o vídeo das câmeras de monitoramento, no entanto, ela só conseguiu assistir as filmagens no dia seguinte com o marido.

“A Helena ia pra escola das 13:00 às 17:00. Ai deu 16:10 eu falei pro Henrique: ‘nossa Henrique, ontem a professora da Helena me perguntou se eu vi a câmera, será que aconteceu alguma coisa?’. Deus soprou no ouvido: ‘abre a câmera’. Eu comecei a abrir a câmera e em 10 minutos a gente pegou todas as coisas de ruim que poderiam acontecer em uma escola. Não vou falar que teve agressão da mulher bater na cara da criança, mas pegava a criança de uma forma agressiva”, contou a mãe e continuou.

“A Helena vinha dando indícios de que estava mais agressiva, ela batia nas bonecas, jogava as bonecas no chão, eu achei que era fase de desenvolvimento, não achei que ela estivesse presenciando algo”.

A mulher que cuidava das crianças não permitia que  elas brincassem. Tinha conduta agressivas com elas. “Dava uma angústia assistir”, contou Henrique.

“Como que ela faz isso? Que ser humano faz isso com uma criança de dois anos? Havia um menino de dois anos que a professora jogou no chão e ficou estatelado no chão, uma menina de dois anos ainda foi fazer carinho, consolar ele. Cara! E a pressão psicológica?”, questiona a mãe indignada.

“Dez, quinze minutos que a gente assistiu continuo foi uma sequencia de quatro, cinco coisas. Eu não consigo nem expressar com palavras, minha filha estava dentro da sala. Graças a Deus não aconteceu nada com ela. Mas teve a energia daquela sala, as crianças sendo maltratadas.

Ela começou a chorar, a gente conhece a linguagem corporal dela, então ela foi andando para trás, acoada e fez com a mão para a professora pegar ela, a professora desviou dela e deixou ela chorando no chão. Foi uma situação maluca, ver aquilo e pensar que estava acontecendo com a minha filha e outras crianças”.

O caso ocorreu no ano passado,  porém, é  muito importante ficarmos atentos a conduta de nossos filhos.

Assista ao vídeo:

 

Escrito por Carla Gomes

Colunista em diversos sites. Adoro escrever sobre qualquer assunto. Cursando publicidade e marketing. Apaixonada e ecommerce e marketing digital. Contato: [email protected]