Enfermeira morre e deixa dois filhos depois de postar o desespero em sua página por achar que estava com coronavírus, mas ser dispensada do teste por não apresentar falta de ar

Não pode realizar o exame, pois não estava sentindo falta de ar.

A Organização Mundial de Saúde elaborou um cartaz, aonde é possível conhecer a diferença entre os sintomas.

Alergia, espirros tosse Olho irritado. A gripe, febre tosse e dor de cabeça. COVID- 19, febre alta, tosse seca e dificuldade para respirar.

Mas uma enfermeira chamada Bianca Camisão, postou no seu perfil, há alguns dias descrevendo os sintomas que estava sentindo, foi até o hospital, mas não pode realizar o exame, pois não estava sentindo falta de ar, mas relatou que estava apavorada e sabia que aquilo não era uma gripezinha qualquer.

PUBLICIDADE

Bianca, era agente de saúde e trabalhava no hospital Ophir Loyola no Brás em Belém, no domingo de páscoa dia 12, Bianca faleceu, se tornando mais uma vítima do coronavírus.

Amigos confirmaram o laudo positivo para COVID-19, colegas de trabalho e parentes descreveram Bianca com uma pessoa companheira, caridosa e cheia de alegria, nas redes sociais muitas pessoas lamentaram a perda e se despediram de Bianca.

Alguns comentários diziam que infelizmente tem gente pensando que esse vírus é brincadeira, não é uma gripe comum e quando essa doença atinge quem nós conhecemos aí sim se entende como é perigosa, disse Lessânder Lopes.

PUBLICIDADE

Uma amiga postou, que ela era cuidadora de animais, quando ficou sabendo que era positivo para COVID-19, se preocupou com os animais. Bianca deixou o marido e dois filhos, ela fazia   parte do grupo de risco, era diabética.

Parentes acreditam que Bianca teve contato com pessoas infectadas no trabalho, o DOL enviou seus sentimentos a toda a família de Bianca e relembrou a todos os paraenses para se cuidar e ficar em casa, o momento que o país está enfrentando, requer que cada um previna-se, seja responsável e tenha fé.

O ministério da saúde adverte que devem usar máscaras de maneira adequada, higienizar as mãos de forma adequada e o afastamento social, pode reduzir a possibilidade de infecção.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.