Enfermeira que atua na linha de frente contra o coronavírus faz desabafo emocionante e revela não ter mais forças para continuar lidando com a pandemia

Segundo ela, a situação é completamente triste, pois as pessoas perdem as suas vidas sem nenhuma pingo de dignidade.

Uma enfermeira que atua na linha de frente contra o coronavírus, fez uma grande revelação, que deixou muitos internautas emocionados.
A enfermeira afirma que já lidou com a perda de muitas pessoas, mas aquelas que perdem a vida vítimas do coronavírus tem mexido com ela de uma maneira extrema.
Isso porque as pessoas que morrem contaminadas pelo vírus não possuem nenhum dignidade nem para ser enterradas ou até mesmo recebem os cuidados como deviam.
A enfermeira que preferiu não revelar a sua identidade, afirmou enquanto cedia uma entrevista para o jornal “O Dia”, que atua na área de pediatria, e até então tem contribuído na linha de frente contra o coronavírus.
A profissional revela que mesmo tomando todos os cuidados necessários, que a equipe vai ficando mal aos poucos, e quem continua trabalhando acaba ficando com uma carga extremamente sobrecarregado.
Lidando com a rotina mais intensa, a enfermeira conta que já trabalhava durante o decorrer do dia na ala da pediatria de um hospital público, mas nas noite começou a atuar no hospital campanha do Maracanã.
Segundo informações cedidas pela enfermeira, as crianças são as menos afetadas, contudo existem casos de algumas que tenham sido contaminadas, mas são casos que conseguem ser logo resolvidos de maneira rápida.
Mas infelizmente já para o outro lado, a realidade ´muito mais triste do que pensamos, no hospital campanha, os números de casos são bem altos e frequentemente alguém morre vitima da doença.
E a cada dia que passa o número de pessoas infectadas vem aumentando de maneira assustadora, só no Brasil até essa última sexta feira, dia 22, foram computados 21.048 mil óbitos e 330.890 mil casos confirmados.
A enfermeira relata a tristeza que é, os pacientes ficam sozinhos isolados, não podem receber nenhuma visita, e quando falecem os familiares não podem despedir de seu entes queridos, pois não pode nem ver o rosto daquele que faleceu, é algo cruel.
Sem contar que os corpos ainda precisam ficar acomodados na câmara frigorifica até que os familiares consigam um lugar no cemitérios, que já estão super lotados.
A enfermeira relata que é horrível muito desumano, e isso tem acabado muito com o psicológico dela, além disso ela está há pelo menos uns 4 meses longe de sua família.
Segundo a profissional de saúde, se as pessoas continuarem a desrespeitar e saírem na quarentena, em pouco tempo o sistema de saúde não irá conseguir dar conta de todos os pacientes, uma situação que já está sendo notada.
O que mais a deixa triste é o medo de acabar sendo infectada pelo vírus, depois que ela faz uso do equipamentos de segurança contra a doença, ela precisa ficar horas sem poder fazer nada, sem poder comer, beber, e ate mesmo ir ao banheiro.
Se caso ela precisar fazer algumas dessas necessidades, ela precisa retirar toda a roupa, e depois fazer a higienização correta e vestir outra roupa novamente, o que acaba gerando o medo e a desconfiança de ser contaminada.
Por fim a profissional de saúde fez um pedido para que toda a população que puder que fique em suas residências, pois as vezes você pode acabar sendo infectado em um pouquinho que sai na rua.
Mas se em último caso precisar sair, faça as recomendações necessárias para não ser contaminados, e volte para sua casa, nada de ir na casa de amigos ou familiares, precisamos nos proteger para que a pandemia acabe logo e o vírus pare de circular.
Veja abaixo a foto do hospital de campanha no Maracanã:

PUBLICIDADE

Escrito por Margareth Santos

Gosto de dedicar uma parte do meu tempo levando noticias e informações através de matérias relacionadas a tudo, inclusive de saúde, culinária, famosos e do mundo da maternidade.