Justiça condena empregador a pagar indenização de 50 mil para funcionária que tinha o peso monitorado

O caso aconteceu na cidade de Muriaé, localizada no interior de Minas Gerais

Uma vendedora da cidade de Muriaé, localizada no interior de Minas Gerais, passou cerca de um ano e meio tendo medo de uma data que muitos trabalhadores aguardam ansiosamente: o dia do pagamento.

Isso se deve ao fato de que a vendedora em questão, que trabalhava em uma loja de bijuterias, precisava se submeter a uma série de constrangimentos para ter toda a sua remuneração.

De encontro a isso, é possível afirmar que, segundo o Estado de Minas, a funcionária precisava subir na balança para mostrar ao seu chefe que havia perdido peso antes de receber. Caso a perda não fosse comprovada, ela tinha parte do seu pagamento removido.

PUBLICIDADE

É possível afirmar que o caso em questão acabou indo parar na Justiça. Então, a 1ª Vara do Trabalho de Muriaé chegou a condenar a loja em questão a pagar uma indenização de R$50 mil para a ex-funcionária por danos morais. Essa decisão foi tomada ainda no dia 13 de novembro de 2020.

Se mostra válido destacar que, de acordo com as informações publicadas pelo Estados de Minas, a mulher em questão, identificada apenas como D.L, ainda está muito fragilizada pela situação. Então, ela preferiu se pronunciar sobre o caso através da sua advogada, Grazielle Berizonzi.

Nesse sentido, conforme foi relatado pela defensora, para receber R$200 do seu pagamento, D.L precisava cumprir metas mensais de emagrecimento, que eram estipuladas pelo seu empregador e chegavam a 5kg por mês.

PUBLICIDADE

Assim, para conseguir assegurar que ela cumpriria, D.L chegava a ficar sem comer e a vomitar algumas das suas refeições. Então, conforme o pagamento se aproximava, ela passou a entrar em pânico.

Via: em.com.br

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.