Marido de Carol Bittencourt será indiciado por homicídio culposo pela morte da esposa, entenda o motivo

Modelo morreu afogada após cair do barco que estava com o esposo

O empresário Jorge Sestini será indiciado por homicídio culposo em relação à morte da mulher, Caroline Bittencourt. De acordo com documentos oficiais a Polícia Civil informou o novo desvendar da tragédia no começo da noite desta segunda-feira (6).

O delegado Vanderlei Pagliarini, responsável pelo inquérito, decidiu pelo indiciamento após ouvir formalmente o dono da marina de onde a embarcação do casal partiu com a embarcação Twin Green, durante fortes ventos que acabaram gerando o naufrágio da lancha.

O delegado afirma que Sestini sabia dos riscos quando decidiu navegar com o barco mesmo depois das advertências sobre uma possível tempestade que estaria a caminho. O delegado afirma que houve conduta negligente por parte do marido de Carol.

PUBLICIDADE

De acordo com as informações a advertência foi feita por Lenildo de Oliveira, dono da marina onde o barco do casal estava ancorado. Lenido disse à polícia que o marido de Carol foi alertado sobre o perigo da mudança do tempo ainda na sexta-feira (26), antes de sair com a embarcação.

Já no domingo (28), dia em que aconteceu o acidente, Oliveira assim que recebeu informações sobre a tempestade ele imediatamente repassou para os clientes, incluindo Sestini. O marido da modelo respondeu agradecendo pelo alerta e esse foi o último contato que tiveram.
Ainda de acordo com as informações de Oliveira em seu depoimento ele tentou contato novamente às 17h15, para avisar que não tentassem voltar, pois as condições climáticas eram muito ruins. O marido de Carol havia informado que voltariam as 17:30.

“Sabedor do mau tempo que assolava naquele momento a região, especialmente para quem se encontrava a bordo de embarcações de pequeno porte, expressamente advertido a esse respeito, resolveu por lançar-se ao mar, não providenciando ao menos que a vítima utilizasse um colete salva-vidas, como lhe competia, negligência indiscutível que remete aos fundamentos dos delitos culposos” disse o delegado.

PUBLICIDADE

O pedido de indiciamento foi enviado para a polícia de São Paulo, que deve intimar Sestini para ouvi-lo – não há data agendada. Na ocasião, ele será informado oficialmente do indiciamento.

“Enviamos um questionário elaborado com perguntas para ele responder. Quando comparecer a delegacia, ele irá ser indiciado formalmente”, afirmou Pagliarini.

A pena, caso Jorge seja condenado por homicídio culposo, é de um a três anos de detenção.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Gomes

Colunista em diversos sites. Adoro escrever sobre qualquer assunto. Cursando publicidade e marketing. Apaixonada e ecommerce e marketing digital. Contato: [email protected]