Médicos que acompanharam Paulo Gustavo narram sobre a sua luta e a piora repentina: “Como desligasse interruptor”

O ator que era muito conhecido no país,depois de atuar na TV, cinemas e teatros, morreu nesta última terça (4) após complicações do coronavírus.

Paulo Gustavo, permaneceu longos dias na unidade hospitalar, e os médicos que acompanharam o seu tratamento, no RJ, relataram no fim de semana, antes da triste notícia da sua morte, uma melhora no decorrer da internação.

Onde ele interagiu e mostrou que se estava recuperando. Um tempo depois, já no domingo (2) de maio , ele de repente teve uma piora no seu estado clínico, como se tivessem desligado um interruptor.

A equipe médica, cedeu uma entrevista ao Fantástico onde detalhou todo o tratamento realizado ao artista, como também as suas lutas contra a doença. Paulo Gustavo, não resistiu e veio a óbito na terça dia 4 de maio.

PUBLICIDADE

No fim de semana antes, ele apresentava-se relativamente ótimo, no qual a equipe médica estava confiante, que ele ia se recuperar. Ainda nessa mesma altura, a sua sedação foi diminuída, e ele ainda interagiu com familiares e amigos.

Para o médico Rafael Potes, ele afirma que esse talvez tenha sido o melhor dia de todo o tempo hospitalizado.

Susana Garcia, amiga e cineasta, contou no programa Fantástico, em suas palavras, que sempre falavam para ele repetir uns gestos, e ele sempre correspondia.  Ela disse ainda, que todos diziam que ele estava melhorando.

PUBLICIDADE

Entretanto, o quadro de momento para o outro mudou radicalmente no domingo. Flávio Miranda, chefe da terapia intensiva disse em suas palavras, que foi como lhe tivesse desligado o interruptor. Que ele ficou pálido, e a sua pressão arterial caiu, e ele parou de interagir. Ele disse ainda, que isso ocorreu umas quatro vezes no decorrer da tarde.

A piora do estado de saúde  do ator foi uma fístula, entre alvéolos do pulmão, e a veia pulmonar, que autorizava a entrada de ar na corrente sanguínea. No qual causou uma embolia gasosa.

Flávio ressalta que o coração e o cérebro foram órgãos que imediatamente foram afetados por essa quantidade de ar. Mas não havia como corrigir. Ele diz ainda, que não tem como diagnosticar a área que está a acontecer e nem como corrigir.

O médico explica ainda, que nesse momento, na noite de segunda (3), foi o momento que o hospital divulgou toda a informação sobre o estado de saúde do ator que se tinha tornado irreversível.Ele veio a óbito no dia seguinte.

Susana Garcia amiga do ator disse que ele era uma pessoa saudável, e teve o melhor tratamento. No qual foi feito todo o possível mas ele morreu, conclui.

 

 

 

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!