Mesmo com um óbito por Covid-19 no estado de Santa Catarina governador desiste da quarentena

O governo desistiu da quarentena.

Foi anunciado nesta quinta-feira dia (26), pelo governador de Santa Catarina, Coronel Carlos   Moisés, que está autorizando a retomada das atividades econômicas no estado, a partir da próxima segunda-feira.

Santa Catarina registrou uma morte por COVID-19, Santa Catarina estava em quarentena a 10 dias, como uma estratégia do Ministério da Saúde para conter o avanço do Coronavírus, que infectou em Santa Catarina, 149 pessoas.

Moisés, falou em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira, que irão retomar as atividades econômicas no estado, decretou o fim da quarentena, afirmando que é preciso conciliar o combate ao Coronavírus, com a convivência social.

PUBLICIDADE

De acordo com o governador de Santa Catarina, é necessário conviver com a pandemia da COVID-19, é preciso preservar a vida das pessoas, sem prejudicar as atividades econômicas, de acordo com Moisés, o governo pesou tudo na balança e decidiram, vão combater contra o vírus e conviver de forma segura.

Foi apresentado um plano estratégico de retomar a atividade econômicas no estado de Santa Catarina, o plano é que agências bancárias, lotéricas, cooperativas de crédito, voltarão a funcionar a partir do dia 30.

No dia primeiro de abril, o comércio, academias, bares, shopping centers, restaurantes, poderão abrir as portas, também as atividades da construção civil, escritório, setor hoteleiro, irão funcionar a partir do dia primeiro, quarta-feira.

PUBLICIDADE

Explicou que irão retomar as atividades econômicas, mas todos os estabelecimentos devem respeitar as regras impostas no Decreto Estadual, com limite de pessoas, 50% da capacidade e as empresas devem afastar pessoas que fazem parte do grupo de risco.

O plano estratégico também autoriza os empregados domésticos a retornarem ao trabalho. A   visão do Governador Carlos Moisés, segue a linha do presidente Jair Bolsonaro, ele declarou que as pessoas que fazem parte do grupo de risco devem permanecer em quarentena, mas as outras pessoas não podem parar, pois isso gerará desemprego e violência.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.